25 janeiro 2012

Quais as capitais mais perigosas do Brasil? - Mapa da violência 2012

A violência no Brasil tem tomado nuances pouco imaginados anos atrás. Áreas antes tidas como extremamente violentas, vem tendo diminuídas suas taxas de violência grandemente e forçando-nos a deixar de lado alguns preconceitos. É isso que indica o Mapa da Violência 2012. Que traz dados atualizados até 2010.


Listamos abaixo as capitais (contando a área metropolitana) mais violentas do Brasil (segundo o critério de número de homicídios para cada 100 mil habitantes) em 2010, e oferecemos um comparativo de como estas taxas estavam em 2007.


Note que o senso comum recebe logo um impacto: Rio de Janeiro não está na lista. E algumas capitais que não estavam entre as dez mais perigosas em 2007 (divulgada em nosso blog aqui) passaram a estar. Destaque para Belém, cuja região metropolitana (Belém, Ananindeua e Marituba) passou a ser a segunda mais perigosa do Brasil.

Vale ressaltar que, de 2007 a 2010, o Pará e Belém tiveram um aumento significativo da criminalidade. Para se ter ideia, as taxas no Pará, nestes respectivos anos, subiram de 30,4 para 45,9.

Para fazer justiça, enfatizo abaixo os índices do Rio de Janeiro e de São Paulo tanto em 2007 como em 2010.
2007 - Rio de Janeiro: 35,7 / São Paulo: 17,4.
2010 - Rio de Janeiro: 24,3 / São Paulo: 13,0.

Para saber mais:
- Mapa da violência 2012
- Estudo diz que Brasil tem 14 das 50 cidades mais violentas do mundo

Clique aqui e acesse nosso blog para conhecer outros de nossos textos sobre Administração, Gestão e Negócios



Sobre o Autor:
Bruno Saavedra Assine por email | Twitter | Facebook | Nosso Feed
Bruno Saavedra, 30 anos, casado, está por aqui desde 2010. Administrador pela UNAMA (Belém, PA), Mestre em Administração do IBMEC-RJ. Paraense de nascimento, carioca por adoção.

13 comentários:

  1. Bruno,

    O que mais me chamou atenção neste último relatório com dados sobre violência não foi o aumento em capitais que outrora "eram" consideradas seguras, mas sim a disparidade entre os índices de homens e mulheres. Essa disparidade nos mostra que sempre que vamos avaliar riscos devemos usar probabilidades condicionais, por exemplo: qual a probabilidade de um cidadão da classe A com mais de 60 anos que não tenha inimigos e não esteja envolvido em crimes tem de sofrer um homicídio?
    Por isso acho mais importante avaliar a quantidade de latrocínios, visto que os homicídios afetam mais os jovens pobres do sexo masculino envolvidos com o tráfico de drogas.
    Ainda considero o Rio de Janeiro uma cidade violenta para as pessoas não envolvidas nos crime, sendo até mais violenta do que outras cidades com índices maiores.
    Você poderia fazer uma análise mais profunda sobre esta questão?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. JotaElle,

      Realmente suas observações são pertinentes. Contudo, não tenho tempo para pesquisar sobre o assunto segurança pública de tal maneira que eu possa fazer uma análise mais profunda com qualidade. Seria necessário juntar dados, tabulá-los, seguimentá-los e então extrair algumas conclusões e hipóteses. Sinto muito.

      Queria apenas destacar no texto que nem sempre o que acreditamos é aquilo que os dados mostram. Tendo vindo de Belém e hoje morando no Rio, minha experiência pessoal me faz sentir mais seguro andando na capital fluminense que na Cidade das Mangueiras (e os números acima referendam esta minha impressão)

      Excluir
    2. Depende, se você estiver considerando circular pela Zona Sul do Rio, deve ser mais seguro mesmo, mas se você estiver considerando outras regiões, como por exemplo a Zona Norte, aí a coisa muda de figura. Um dia desses estava em um ônibus na 24 de Maio às 18 h e houve uma arrastão mais a frente com tiros disparados, evento este que provocou o maior pânico. Não foi a primeira vez que presenciei cenas desse tipo, mas penso que a segurança vem melhorando no município do Rio. Por aqui já derrubaram até helicóptero!
      Já morei em Recife e em várias outras capitais e cidades e ainda acho o Rio de Janeiro muito violento.
      Não conheço Belém, portanto não tenho como comparar.

      Excluir
    3. De fato a Zona Sul é mais segura que a Zona Norte. Em Belém, contudo, comparando as áreas mais nobres à Zona Sul do Rio, ainda assim me sinto mais seguro por aqui.

      A questão é que no Brasil há mais homicídios por ano que em mortes em algumas guerras. Muitas coisas precisam mudar.

      Excluir
  2. É meu caro, estatistíca para mim deveria contar todos os homicídios. Mas, infelizmente aqui no RJ e SP se esconde muito os verdadeiras números. Outra coisa, não vejo em outro lugar do Brasil bandido matando policial como RJ e SP.

    ResponderExcluir
  3. Então quer dizer que São Paulo e Rio de Janeiro são mais seguras que Curitiba né? Tá bom, eu acredito...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, os números nem sempre traduzem toda a realidade. Leva em consideração apenas uma variável. Há outras variáveis, até de natureza subjetiva (percepção da violência), que não são captadas por esses levantamentos.

      Obrigado por seu comentário.

      Excluir
  4. A realidade que muitos ainda não enxergaram é que a violência sofreu uma democratização em todo país. Antes restritas a Rio e São Paulo, hoje percebe-se que até as cidades médias os índices de violência estão absurdos, em todo o país. As pessoas deveriam ver a realidade que está ao lado e não o que a mídia divulga ( a mídia não vai falar de Vitória, Maceió, Curitiba, Goiânia; a mídia gosta de falar somente do Rio e SP, porque dá mais audiência. o Povo brasileiro ficou tantas décadas falando da violência do Rio e São Paulo e esquecerem que as demais capitais e cidades ficaram iguais ou piores. Mas ninguém procurou cobrar do governo e autoridades o porquê deixaram piorar assim a nívies extremos...

    ResponderExcluir
  5. O povo brasileiro ficou tanto tempo se concentrando em criticar a violência no Rio de Janeiro e São Paulo e se esqueceram de suas próprias cidades. Essas últimas décadas nenhum governo pôs a segurança pública como prioridade, muito menos estes que aí estão no poder há mais de dez anos. Resultado disso tudo: a violência distribuiu-se de forma uniforme em todo país, de Norte e Sul, nas cidades grandes, médias e até pequenas. E as cidades que ninguém esperasse tal violência, são as primeiras do ranking de assassinatos e outros crimes no país. O que a mídia faz mesmo é divulgar a violência onde somente dá audiência, como RJ e SP. Ninguém da mídia vai querer noticiar assassinatos e crimes em Vitória, Aparecida de Goiânia, ou na região metropolitana de Curitiba ou Belém.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vlad, de fato a imprensa dá forte ênfase à Rio e São Paulo. Vale lembrar que SP é o estado mais rico da federação e portanto o que mais chama atenção, e a Globo, maior emissora do país, é no Rio.
      obrigado pelo comentário.

      Excluir
  6. Engano seu! Em cidades super vigiadas pela imprensa e por entidades civis como SP e RJ, é muito mais difícil de esconder crimes do que nos rincões deste país! Segundo especialistas em segurança pública, os números dos outros estados devem ser ainda piores que os mostrados neste ranking!

    ResponderExcluir
  7. Você não precisa acreditar! Os números já dizem tudo, e número é frio, não tem bairrismo e nem "achômetros"!

    ResponderExcluir

[Fechar]